Seja bem vindo ao Portal Pingodagua.net

                            

  Mulheres que batem

Há muitos homens que apanham de suas mulheres. Normalmente são os bêbados que chegam mais tarde do que deveriam e, obviamente, são mais fracos também. Mas, assim como os homens que covardemente batem em suas mulheres só porque são mais fortes (ou estão bêbados), bater em homem é uma covardia muito grande. Primeiro que é preciso aplicar a lei da recíproca. Não existe “porrada de amor não dói”. Dói muito e é preciso rotular que tipo de amor é esse que dá porradas.
Não vamos nos alongar no drama das mulheres que apanham dos maridos. É um caso sério e grave, mas que a sociedade através dos meios corretos editou a tal “Lei Maria da Penha”, uma lei draconiana e exagerada como tudo no Brasil, mas está fazendo um sucesso danado nas delegacias das mulheres. Uma simples ameaça verbal por puro destemperamento já enquadra o macho na lei. Depois não sabem porque a lei pega ou não pega. Que juiz vai condenar um homem que na hora da briga, de cabeça quente, apenas diz: “Um dia eu te maaato!”. Ele mesmo, juiz, cansou de ouvir e dizer isso.

Mulheres que apanham.

Antes de virar mulheres, elas já viveram a experiência da agressão do parceiro, que pode ser um garoto conhecido na festa do último fim de semana. No entanto, entre os casais jovens, as meninas não ocupam só papel de vítimas, mas também de autoras dos maus-tratos . Pesquisa realizada pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), feita com pessoas entre 15 e 19 anos de todo o País, identificou que 87% das adolescentes já vivenciaram formas de violência no namoro ou no “ficar”. “Atestamos, porém, que as garotas estão agredindo quase que na mesma proporção do que os meninos”, afirma a autora do estudo, Kathie Njaine, que tabulou os 3.205 questionários, recolhidos nas cinco regiões do País.

Os índices de agressão equiparados entre garotas e garotos podem ser explicados por outros estudos que já identificaram aumento no comportamento destrutivo por parte das garotas. As menores de 15 anos, segundo o Centro Brasileiro de Informações sobre Drogas Psicotrópicas (Cebrid) da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), representam o único grupo etário que usa tantos entorpecentes quanto meninos de mesma idade (5% em média). Nas outras faixas, há diferença significativa entre os gêneros.

   Respeito e opção sexual

Violência contra as lésbicas

O fato de ser lésbica torna as mulheres homossexuais ainda mais vulneráveis às diversas formas de violências cometidas contra as mulheres. “As jovens que se descobrem lésbicas, e que vivem com seus pais, são as que mais sofrem violência. A família reprova a lesbianidade da filha e procura impor a heterossexualidade como normalização da prática sexual do indivíduo. Por serem destituídas de qualquer poder, os pais buscam sujeitar e controlar o corpo das filhas lésbicas, lançando mão de diferentes formas de violência, como os maus-tratos físicos e psicológicos. E não faltam acusações, ameaças e, inclusive, a expulsão de casa. As ocorrências de violência sempre têm o sentido de dominação: é o exercício do poder, utilizado como ferramenta de ensino, punição e controle.”

Ameaça de ex-namorado não se enquadra na Lei Maria da Penha - Última Instância 23/07/09
Segundo a juíza Maria Isabel da Silva, do 1º Juizado de Violência Doméstica e Familiar Contra a Mulher de Brasília, "alguns relacionamentos denominados namoros (...) se configuram em verdadeiras uniões estáveis (...). Em outros, a figura do 'ficar', muito comum entre os solteiros de hoje, é marcada pela total falta de compromisso e transitoriedade, apesar de haver larga margem de liberdade e intimidade entre os pares. Para os últimos, a Lei Maria da Penha não é recomendada."

Zonas Erógenas

Qualquer parte do corpo pode ser erógena. Mas são assim chamadas as áreas que manipuladas desencadeiam a excitação sexual e predispõem ao coito, mamas, mamilos, nádegas, ânus, ventre, vulva, clitóris são as áreas genitais erógenas, e áreas como pescoço, coxas, lábios e qualquer outra podem ser erotizadas, dependendo da fantasia e dos fetiches”, destacou o médico. Outra coisa importante, segundo doutor Paulo Canella, é saber “como, onde e quem vai tocar”, e isso só tende a melhorar a qualidade do sexo. E a conversa franca é o melhor termômetro para saber o que agrada e como agradar ainda mais. Isto vale para qualquer tipo e nível de relacionamento.

Quando houver dificuldade em alcançar o prazer no ato sexual, o melhor a fazer é realmente buscar pela ajuda de um especialista. O médico ginecologista, o psicoterapeuta e o sexólogo são alguns dos profissionais que podem colaborar na resolução: “Ainda é um tabu a queixa de problemas sexuais para grande número de pessoas em especial para o ginecologista. As mulheres procuram terapeutas e dão preferência aos do sexo feminino”.Liberte-se para o prazer! Mas não se esqueça de que sexo é parceria, e de que é preciso respeitar as escolhas de cada indivíduo. Até mesmo daqueles que optarem por abdicar da atividade sexual.

Liberte-se para o prazer! Mas não se esqueça de que sexo é parceria, e de que é preciso respeitar as escolhas de cada indivíduo. Até mesmo daqueles que optarem por abdicar da atividade sexual.

                                                             Tamanho não é documento.

Um dos  maiores fantasmas do universo masculino é o tamanho do pênis. Em geral, os homens – e muitas mulheres – tendem a acreditar que o comprimento peniano tem a ver com uma boa performance  sexual.
De acordo com o médico ginecologista e sexólogo, Amaury Mendes  Júnior, isso é crendice popular. “A parte mais sensível e erógena da vagina é  o terço externo, isto é, logo na entrada, e não lá no fundo perto do útero. De  onde se conclui que pênis muito comprido pode até incomodar e se for para  pensar em medida, deve-se priorizar a circunferência e não a extensão; se for  mais largo, melhor”, detalha o doutor.
É razoável, até esteticamente, que o parceiro não tenha o pênis  pequeno demais. Mas no que diz respeito a alcance de prazer, o médico explica que existem motivos fisiológicos para valorizar mais a largura do que o comprimento. “O terço externo da vagina é a região mais sensível feminina, é o local onde se  forma a plataforma orgástica, e de onde o prazer surge. Portanto se formos  pensar em prazer na penetração, um pênis largo gera mais estímulos na área externa da entrada da vagina que se irradiaria por todo o corpo”, explica o ginecologista.
Para casos em que o pênis maiores, é possível diminuir o desconforto com uma boa lubrificação. O médico garante que, salvo casos muito raros, a vagina se adapta a qualquer medida, se a mulher tiver com um nível de excitação elevado.
“A vagina é um órgão elástico e distensível, sendo capaz de acomodar qualquer pênis em seu interior, se convenientemente estimulada e excitada, pois aumenta de tamanho tanto em sua extensão quanto em seu diâmetro, o que facilita o contato sexual, estando a mulher relaxada. Portanto, o segredo para uma relação feliz e prazerosa seria a completa lubrificação vaginal”, finaliza doutor Amaury.

 

            A técnica do Pompoarismo

Recursos para maximizar o prazer nunca são demais, ainda mais quando a técnica resiste ao tempo e prova que, além de aumentar a satisfação, ainda colabora para o bom funcionamento do corpo da mulher. Tudo isso é o pompoarismo, uma atividade que consiste em exercitar a musculatura pélvica proporcionando controle e prazer na hora do sexo.

Os movimentos ajudam a mulher a perceber melhor as sensações vaginais e, com isso, descobrir mais maneiras de sentir prazer. Faz também com que os músculos fiquem bem fortes aumentando a sensação da penetração para o homem.

O praticante do pompoarismo proporciona e sente muito mais prazer, pois além da musculatura ficar mais forte o órgão fica mais sensível e os orgasmos mais intensos.

Com o fortalecimento e controle dos músculos a mulher passa a dominar totalmente a técnica do Pompoar. Através deste controle, no parto normal, ela consegue com mais facilidade expelir o bebê, tornando-o mais rápido. E a técnica ainda é sugerida por muitos ginecologistas às pacientes para prevenir flacidez pós-parto e incontinência urinária.

Já está achando o pompoarismo maravilhoso? Mas os benefícios não acabam por aí. Uma ótima notícia é que, esta técnica pode diminuir a cólica menstrual, dependendo de cada organismo, e em alguns casos até eliminar totalmente.

A maior parte das mulheres se preocupa com os músculos das pernas e dos braços e do bumbum, faz exercícios diários, mas se esquece que essa parte tão íntima e importante do corpo também precisa de atividade para funcionar bem.

Aprenda a fazer os exercícios:

1. Contração vaginal

Sentada numa cadeira, contraia os músculos da vagina como se apertasse algo dentro dela. Conte até três e relaxe. Repita dez vezes. Depois, contraia e relaxe rapidamente, como se quisesse imitar o ritmo de uma respiração ofegante. Conte até dez novamente.

2. Contração Anal

Deitada, flexione as pernas e eleve o quadril. Fique apoiada apenas sobre os ombros e os pés. Contraia o bumbum, conte até três e solte. Faça dez vezes. Deite na cama e relaxe o corpo por alguns instantes. Depois, volte à posição anterior e contraia o ânus em três tempos, sem relaxar entre um e outro: de leve, mais forte e com toda a intensidade. Faça dez vezes. Relaxe e repita o exercício, só que dessa vez você irá contrair não só o ânus, mas também a vagina como se quisesse sugar alguma coisa com ela. Mais dez vezes.

3. Sucção vaginal

Recostada na cama, separe as pernas e deixe-as semiflexionadas. Insira um dos dedos na vagina e aperte-o o máximo que puder. Caso não consiga apertar o dedo, insira dois. Faça dez vezes. Depois, tente sugar o dedo com a vagina. Ajude com a respiração: na hora do movimento de sucção do dedo, inspire e prenda o ar. Conte até três. Repita dez vezes.

4. Contração de glúteo

De pé, com os pés paralelos e distantes 20 centímetros um do outro, contraia o bumbum. Tente unir as nádegas o máximo que puder. Conte até três e relaxe. Faça dez vezes. Repita o exercício contraindo e soltando rapidamente, como se acompanhasse uma respiração ofegante. Conte dez vezes.

5. Movimentação do períneo

De pé, com as pernas semiflexionadas e as mãos na cintura, mova a pélvis para cima e para frente, contraindo o canal da vagina. Conte até três e solte. Faça dez vezes. Depois, faça um movimento circular, como se usasse um bambolê. São quatro movimentos: primeiro, a pélvis vai para cima e para frente; depois o quadril vai para a esquerda; em seguida o bumbum deve ser impinado para trás; por último, o quadril vai para a esquerda. Faça dez giros completos

Relação estável diminui o desejo sexual feminino

          Um recente estudo realizado pela Universidade de Hamburg-Eppendorf, na Alemanha, sugere que mulheres que se sentem em um relacionamento muito seguro apresentam uma queda no desejo sexual.
A pesquisa aconteceu com 530 voluntárias e de acordo com os cientistas, a diminuição da libido acontece em média depois de quatro anos de relacionamento. Os cientistas explicam que no começo da relação 60% das mulheres esperam que o sexo seja realizado regularmente, mas depois de quatro anos o número cai para 50%, e depois de 20 anos para apenas 20%.
Apesar do resultado, a pesquisa sugere que o desejo por carinho não diminui diante do tempo de relação. Aproximadamente 90% das voluntárias disseram receber carinho, durante todo o período de relacionamento.
O estudo também analisou voluntários do sexo masculino e o resultado comprovou que, para eles, o desejo por sexo não diminui consideravelmente diante de uma relação estável. Os números variam entre 60% e 80%, durante todo o relacionamento.  

Pequenos sintomas podem sinalizar uma DST

Os números são alarmantes. Uma pesquisa recente realizada pelo Ministério da Saúde sugere que mais de 10,3 milhões de brasileiros já tiveram algum sinal ou sintoma de uma doença sexualmente transmissível (DST). Desse total, cerca de 18% dos homens e 11,4% das mulheres não buscaram atendimento médico. "É importante ressaltar que os problemas causados pelas DSTs podem aumentar em até 18 vezes as chances de contrair o vírus da Aids (HIV)", diz a ginecologista Rosa Maria Leme. "Existem diversas doenças, como a herpes, por exemplo, que apresentam sintomas que logo desaparecem, mas o vírus continua presente. Por isso é importante ficar sempre atento." Mas será que todos os sinais do corpo podem sinalizar uma DST? Para você entender mais sobre o assunto, o MinhaVida destacou abaixo as principais características que acendem o sinal vermelho e pedem uma consulta de emergência com o seu ginecologista . 

Saúde sexual

Secreção vaginal ou corrimento
 

A especialista explica que pequenas secreções claras e sem cheiro, até uma semana antes da menstruação, são normais. O problema é quando o sintoma persiste. "Qualquer secreção vaginal mais amarelada, verde, pink ou até mesmo a branca, quando em grande quantidade, pode sinalizar algum problema de infecção ou até alguma DST, como a gonorreia. A mulher precisa ficar atenta, principalmente quando ela nunca apresentou nenhum sinal de corrimento", explica a especialista.  

Verrugas genitais
 

Elas funcionam como um alerta do corpo e precisam de exames específicos para serem analisadas. "O aparecimento de pequenas verrugas (externas ou internas) serve como um sinal vermelho para algumas doenças, como o HPV, que na mulher aumenta muito as chances de câncer de colo de útero", explica a ginecologista. 

Cheiro forte

Ao perceber um cheiro forte não característico, na região da vagina, busque um especialista. "O odor ruim pode estar totalmente ligado a uma bactéria e a uma infecção. O quadro pode gerar pus, que altera o odor normal da região e, em alguns casos, pode causar ardência e irritação", diz Rosa Maria Leme. 

Coceira

Normalmente a coceira não está relacionada a nenhuma DST, mas precisa de atenção especial. "Em geral, esse problema está ligado à infecção por um fungo chamado cândida, que além da coceira, vem acompanhado de corrimento. Mas vale lembrar que a coceira também pode estar relacionada a outras infecções genitais menos frequentes ou até menos ao chato (uma espécie de piolho, que se instala na região pubiana)". 

Dor durante a relação sexual

Dores durante o sexo também podem sinalizar que algo não anda bem. "Principalmente nas mulheres que apresentam feridas internas na maioria dos casos de DST, a dor durante a penetração pode ser preocupante. Sinais como forte ardência e incômodo indicam que algo não vai bem e uma visita ao médico precisa ser agendada ", explica a especialista. 

Saúde sexual

Grupo de risco

As mulheres que estão no grupo de risco das DSTs precisam de cuidados ainda maiores. "Mulheres com muitos parceiros sexuais ou que não usam métodos contraceptivos de barreira, como a camisinha, precisam de uma consulta urgente com um especialista, pois além de estarem colocando a saúde em risco, estão ameaçando a de seus parceiros", alerta Rosa Maria Leme. 

Visite o ginecologista

Para afastar o risco de doenças, a consulta com o especialista e a realização de exames preventivos é essencial. "Toda mulher que já tiver tido relação sexual, deve obrigatoriamente passar por uma consulta ginecológica anual para realização de exames de rotina ginecológica e para prevenção de câncer de colo uterino, como exames hormonais e ultrassom para checar útero e ovários".  

  Seu corpo aproveita o orgasmo mesmo após o sexo (por Camila Michel)

       orgasmo Uma das sensações mais íntimas e deliciosas para homens e mulheres, o orgasmo é muito mais do que sinal do sucesso de uma relação sexual. A cada dia, os

médicos descobrem novos efeitos desta reação orgânica que, além de melhorar as emoções, faz muito pela sua saúde. "O orgasmo

contribui para que homens e mulheres vivam com mais qualidade, trata-se de um momento de prazer que reverbera por vários dias",

afirma o ginecologista. Neucenir Gallani, da clínica SYMCO. A seguir, O especialista lista cinco dos principais benefícios que você usufrui quando mantém uma vida sexual ativa. "Mas vale lembrar que o orgasmo não deve ser visto como remédio ou uma obrigação. Dessa maneira, a cobrança e as pressões internas geram muitos problemas e nenhum benefício acaba sendo notado".
1. Alivia crises de enxaqueca
Quando seu parceiro reclamar, dizendo que não quer sexo porque está com dor de cabeça, use a desculpa a favor da saúde dele. Segundo o médico, o orgasmo libera substâncias, como as endorfinas, que atuam no sistema nervoso. "Elas diminuem a sensibilidade à dor, relaxando a musculatura e melhorando o humor", afirma o especialista.

 

2. Melhora o aspecto da pele
Quando há o orgasmo, ocorre uma vasodilatação superficial dos vasos, até aumentando a temperatura em algumas pessoas. Com isso, a pele ganha uma aparência mais viçosa e o brilho natural dela fica em destaque.

3. Alivia as cólicas da TPM

O ginecologista faz questão de reforçar que isso não é uma regra, mas acontece com algumas mulheres. Os movimentos realizados durante o sexo estimulam os órgãos internos, que ficam mais relaxados e, com isso, há diminuição das dores que incomodam seu bem-estar nos dias antes da menstruação. "Mas há mulheres que, na fase pré-menstrual, não têm disposição para o sexo e forçar a barra pode ser pior", diz o ginecologista

"O orgasmo contribui para que homens e mulheres vivam com mais qualidade. É um momento de prazer que se prolonga por vários dias"

4. Melhora o sono
O relaxamento que o orgasmo traz contribui para que você durma melhor, e não apenas no dias em que houver sexo. A reação tem efeito prolongado, devido a ação dos neurotransmissores que passam a agir no seu organismo com mais regularidade e numa quantidade maior .
5. Diminui o estresse
O médico faz questão de ressaltar que o orgasmo não deve ser encarado como um remédio calmante, mas como parte de uma relação afetiva que traz prazer. Quando isso acontece, os níveis de estresse tendem a diminuir não só pela estabilidade emocional, mas também porque os chamados hormônios do estresse, como o cortisol, apresentam atividade reduzida.
6.Orgasmos múltiplos
Após o orgasmo, o homem tem um período de latência em que, mesmo sendo estimulado, não tem ereção e consegue ficar excitado. Esta fase de latência varia, em tempo, de indivíduo para indivíduo e tende a ser mais longa com o passar dos anos. A mulher, por outro lado, pode ter uma fase de latência muito curta ou nem ter, o que possibilita os orgasmos múltiplos.

Mais informações

  69 dicas de arromba para fazer sua mulher delirar na cama

SexoSe a comunicação entre homens e mulheres já é complicada no dia-a-dia, imagine entre quatro paredes, quando o blablablá é o que menos importa. E aí, meu caro, haja paciência para adivinhar o que está ou não agradando na cama - isso, claro, considerando que você ainda não levou um belo pé no traseiro em resposta ao desempenho amador.

É, as mulheres são cruéis. A não ser que estejam muito apaixonadas, dificilmente vão te dar uma segunda chance se, na estréia, você não conseguir gerar níveis apocalípticos de prazer. Ficou tenso? Não precisa. Minha Vida reuniu um time de moças muito bem resolvidas na cama e perguntou o que não pode faltar numa transa inesquecível. O bate-papo rendeu 69 dicas quentíssimas, que você confere a seguir.

1. Massagem é uma delícia, mas detesto ter que pedir. Gosto quando ele me vira de costas e começa fazendo carinho no pescoço, com as pontas dos dedos e, aos poucos, vai usando a mão toda para massagear toda a parte de trás do meu corpo.

2. Adoro sentir a língua do meu namorado, passeando por todo o meu corpo. Saber intercalar movimentos suaves a outros mais rápidos é fundamental.

3. Um elogio, feito na hora certa, acende qualquer transa. A gente fica horas pensando na lingerie que vai usar com o cara, elogiar é o mínimo que ele pode fazer.

Homem tem que ter pegada e saber o que está fazendo

4. Tomar a inciativa de apagar ou diminuir a luz é legal, principalmente no começo. Fico mais à vontade e consigo me envolver melhor. Sei que os homens preferem transar com as lâmpadas acesas, então valorizo quando algum deles presta atenção e cede para me agradar.

5. Fazer surpresas é sempre divertido. Gosto quando ele oferece algum acessório para a gente usar, juntos. Mas isso tem que acontecer sem pressão, já teve situações em que recusei o brinquedinho que ele inventou de comprar.

6. Homem tem que ter pegada e saber o que está fazendo. Perguntar se pode tirar a blusa, se pode pôr a mão aqui ou ali azeda completamente o clima.

7. Cama? Haja paciência para ficar só por ali. Gosto quando meu namorado toma a iniciativa e propõe uns lugares ousados para a gente ficar junto.

8. Ter criatividade na hora de colocar a camisinha é muito legal. Já fiquei com caras que fingem não lembrar dela e eu tenho que perguntar se ele tem. Isso corta o barato. Seria muito mais legal ele pegar e me conviar para colocar junto com ele.  

 

9. Língua e dedo formam uma combinação mágica. Mas o cara precisa ter paciência e entender os exercícios como um aquecimento. Como todo preparo, só indo com calma para fazer efeito sem machucar.

10
. Uns bons apertões no bumbum e nos seios são uma delícia. Mas cada um a seu tempo, sem parecer que você vai virar fumaça daqui a pouco. Os dois precisam curtir os amassos.

11
. Mulher sofre para fazer depilação, os caras deveriam seguir o exemplo e, pelo menos, dar uma parada nos pêlos. Adoro quando percebo que ele tomou esse tipo de cuidado.

12. Interromper tudo para ir ao banheiro é o fim do mundo, eles precisam entender que demoramos para pegar embalo. Por isso, é melhor aproveitar a temperatura mais caliente.

13
. Quando o cara conhece umas posições diferentes e ensina como ficar nelas, acho o máximo. Sinto segurança e me entrego completamente.

14
. Perco os sentidos quando meu namorado me coloca de costas e começa a dar uns puxõezinhos de leve no meu cabelo. Mas tem que ter cuidado para não me deixar com dor-de-cabeça.  

15. É muito gostoso quando ele começa a falar umas bobagens no meu ouvido, principalmente quando eu tenho que responder, seja com palavras ou com algum gesto.

16.
Deixar umas bebidas à disposição é muito bom. Às vezes, estou me sentindo meio travada e, basta tomar uns goles, que tudo se resolve.

17
. Fico excitada quando ele dá um jeito de me irritar, critcando alguma coisa que fiz ou reclamando do tempo que demoro para me vestir, por exemplo. A gente briga feio e, de repente, ele me agarra e tudo se resolve.

18
. Pequenas mordidinhas, em lugares onde não consigo enxergar, me deixam louca. Atrás da coxa, no bumbum e nas costas, perto do ombro, são meus lugares favoritos.

19. Adoro quando ele esfria a boca com umas pedras de gelo e, depois, vem me beijar. O choque de temperatura entre minha pele e a língua dele me deixa toda arrepiada.

20. Gosto quando ele faz mil peripécias nas preliminares e, depois de abusar da criatividade, coloca uma venda nos meus olhos e me obriga a ficar quietinha, esperando que ele tome conta da situação.

21
. Uma vez, meu namorado amarrou minhas mãos e não me deixou fazer nada, nem tirar a roupa. Ele fazia tudo bem devagarinho, demorando uma hora para abrir cada botão da minha blusa. Nem preciso dizer que, quando não restava mais nada e ele me soltou, parti para cima com o maior tesão do mundo.

22. Escolher a música certa é aposta garantida para um clima fervilhante. Mas nada daquela chateação de ficar trocando o CD ou pulando os arquivos, o cara precisa pensar nisso tudo antes e já montar uma seleção na ordem correta.  

23. Esquentar o clima numa banheira com água bem morninha é muito bom. Ajuda a relaxar e transforma até um papai-e-mamãe numa brincadeira superinteressante.

24. Ganhar carinho depois de tudo é muito bom, fico me sentindo querida e ainda mais desejada. O cara mostra que não é homem para uma noite só e isso me incentiva a pensar em maneiras de incendiar nossas ficadas.

25.
Adoro usar espartilho, porque me sinto mais sensual. Acho incrível quando meu namorado vai tirando cada peça e comentando, no meu ouvido, como fico bem com elas.

26. Com as luzes totalmente apagadas, enlouqueço quando ele resolve brincar de esconde-esconde. No nosso jogo, quem conseguir encontrar o outro tem a direito a fazer um pedido que será atendido imediatamente.

27. Joguinhos de sedução sempre me deixam mais acesa. Às vezes, marco de sair com meu namorado e, durante o caminho, ele fica me mandando mensagens picantes pelo celular. Na maioria das vezes, demoramos um pouco para pôr os pés fora de casa.

28. Fomos jantar na casa dos pais dele contra minha vontade, porque detesto minha sogra. Mas, mal sabia, que ele tinha me reservado uma surpresa. No meio da noite, demos um jeito de escapar para o quarto que era dele na infância. Lá, ele tinha montado um esquema genial, com um monte de flores espalhadas na cama e no chão. Acho que nunca senti tanto apetite na minha vida.

29. Filmes pornôs normalmente são insuportáveis, mas uma boa hsitória erótica é sensacional para ativar a libido. Normalmente, elas rendem boas inspirações para o resto da semana.

30
. Para a transa funcionar, o cara tem que olhar nos meus olhos. Se ele fica disfarçando, acho que ele está com o pensamento nas nuvens e não consigo me envolver. E, fechar os olhos, só quando já está quase chegando lá.  

Sexo

31. Apimentar o sexo oral é sempre legal, gosto quando o cara chupa um drops extra-forte e, depois, toma um gole de água. É parecido com gelo, mas um pouco mais excitante.

32. Passar uma camada bem fininha de óleo de massagem (e transar com ele espalhado pelo corpo) é de enlouquecer. Mas tem que ser aqueles produtos cheirosinhos, ou a gente se sente um verdadeiro pote de margarina.

33.
Na hora h, gosto quando o cara comenta (em voz baixa), como é gostoso o movimento que estou fazendo. Esse tipo de elogio faz com que eu me empenhe ainda mais para agradar.

34. Vou ao delírio quando, antes de tirar minha calcinha, o cara fica brincando com ela. Vale puxar as alcinhas, brincar com os lacinhos, puxar para um dos lados, acho que é uma das coisas que mais me deixa excitada.

35.
Dançar só de camisola, bem agarradinhos, é uma delícia. Num dia bem frio, já estava deitada com meu marido. De repente, ele se levantou e ligou o som com uma música bem sexy. Foi até a cama e me puxou (nem tive tempo de reagir) e começamos a dançar, bem coladinhos. Antes da música acabar, já tínhamos voltado para a cama. Só que, desta vez, dispensamos o edredon. 

36. Gosto quando o cara me deixa ficar por cima durante toda a transa. Melhor ainda quando ele me deixa fazer as coisas no meu ritmo e dá sinais de que está curtindo.

37. Iniciativas ousadas são sempre as melhores, mas o cara precisa segurar a onda e insistir. Teve um dia que fui a um bar e fiquei trocando olhares com o vocalista da banda que estava tocando. Num dos intervalos, a gente se encontrou na pista, ele me reconheceu e, num puxão forte, segurou no meu braço e me levou até o banheiro de deficientes. O perigo de sermos descobertos transformou aquela rapidinha numa transa inesquecível.

38. Odeio calcinhas que marcam a roupa e, às vezes, saio sem. Numa ocasião dessas, coloquei uma saia e, no restaurante, avisei meu namorado que estava sem roupa íntima. Ele foi o máximo! Com muito cuidado, aproximou a cadeira da mesa, levantou a perna e começou a se esfregar em mim. Mas me fiz de difícil e fiz com que ele esperasse pela refeição completa, com direito a duas sobremesas - a segunda, no motel0.

39. Meu namorado é super-romântico e adora levar meu café-da-manhã na cama, quando dormimos juntos. Teve um dia, que ele preparou o meu suco preferido: abacaxi com hortelã e, na hora de pôr a bandeja no meu colo, acabou derrubando tudo em cima de mim. Em poucos segundos, ele resolveu a situação e, com muita disposição, começou a lamber todo o líquido derramado.

40. Eu sou vidrada em tatuagens, mas meu namorado detesta. Um dia, no entanto, ele me surpreendeu. Chegou em casa dizendo que tinha feito duas, bem pequeninhas, em lugares inusitados. Para encontrar, eu ia dizendo as regiões do corpo e ele respondia se estava quente ou frio. Quando a temperatura subia, ele me recompensava com bons amassos até que, no final, desisti de descobrir onde estavam as tatuagens. Chegar perto ficou muito mais divertido. 

41. Na maioria dos meus looks, incluo uma meia-calça - uma peça simples que deixa as pernas muito mais sensuais, na minha opinião. Mas meu namorado detesta e nem encosta nas minhas pernas quando estou de meia. Num dia de revolta, ele partiu para cima de mim no carro e rasgou a meia inteira com as mãos. Fiquei boquiaberta e reagi na hora, precisamos até parar no acostamento.

42. Gosto muito de brincar com aqueles dadinhos do amor. Minha melhor experiência aconteceu quando meu namorado levou um amigo para jogar com a gente e me deixou livre para escolher com qual dos dois queria cumprir o destino surgido a cada arremesso. Nossa relação ficou muito mais forte depois daquele dia.

43. Tive um ex que me achava parecida com a Mel Lisboa, que eu acho linda. Num dia, ele apareceu em casa com a Playboy dela e sugeriu que a gente imitasse as poses da revista. Para ele me fotografar. Fiquei me sentindo uma diva

.44. Provocar (e ver que as provocações estão surtindo efeito) é uma das melhores sensações de esquenta. Depois do banho, levo horas passando cremes pelo corpo e, quando meu namorado está em casa, façoisso em posições para lá de insinuantes. Vou às estrelas no momento em que ele não agüenta mais olhar e parte para cima.

45
. No meu caso, paciência é fundamental. Na primeira vez que saí com meu atual namorado, foi incrível: a gente tomou um banho delicioso na hidro, com muita espuma, depois ele fez massagem no meu corpo todo e, quando a gente não aguentava mais segurar, ficamos juntos. Foi a melhor noite da minha vida. 

46. Preciso sentir o cara por inteiro junto comigo. Adoro quando, em vez de ficar passeando com a mão, ele segura firme na minha cintura e vai apertando e soltando meu quadril de acordo com os movimentos que a gente faz.

47
. Homem que grita ou fala palavrão na cama é um horror. Adoro quando o cara sabe falar umas sacanagens, mas tem que ser baixinho e no meu ouvido. Uns gemidos na hora certa também empolgam.

48. Sugerir novas posições é um jeito diferente de mostrar que está a fim. Para mim, quando o cara faz isso, mostra que ficou pensando no momento que a gente ia ficar juntos de novo e arrumou uma maneira de transformar aquilo num encontro único. Ah, mas não precisa ser uma pose de contorcionista ou a gente corre o risco de se machucar e acabar não fazendo a parte mais divertida do exercício.

49
. Alguns sabores abrem o apetite. Na minha lista, chocolate e champagne estão no topo. Uma calda bem cremosa, espalhada pelo corpo, atiça qualquer libido. E a bebida mata a sede, depois do esforço.

50
. Ganhar presentes é ótimo em qualquer situação, mas receber um conjunto de lingerie ou uma camisola supersexy (e ter a chance usar em seguida) é uma delícia. Meu namorado sempre faz isso e já sabe vestir e arrancar meus sutiãs melhor do que eu. 

Sexo

51. Perfumes me deixam louca, adoro quando dou a sorte de ficar com um cara muito cheiroso que, só de me abraçar, já transfere aquele cheiro para mim. Grudo nele e só me separo quando o suor é tanto que não conseguimos mais ficar agarrados.

52
. A nuca, para mim, é uma zona mágica. Meu namorado já descobriu e aproveita. Ás vezes, estamos num bar e ele esfrega um copo com drink bem gelado no meu pescoço. Fico toda arrepiada. A seqüência inclui esfregadinhas com os dedos até chegar no delírio absoluto, quando ele me beija com todos movimentos e velocidades possíveis de que uma língua é capaz.

53. Fico superexcitada quando, antes de transar, meu namorado permite que eu fique me arrastando inteira sobre o corpo dele, sentindo o toque das pernas, do peito, dos braços com outras partes do meu corpo, além da mão. São outros tipos de toque, que revelam o grau da nossaintimidade.

54. Gosto quando dou sorte de sair com caras que não tenham preconceito quando a mulher toma a iniciativa. Meu ex-namorado sempre elogiava minha ousadia e, com isso, eu vivia pesquisando coisas novas para a gente experimentar.

55.
Viver personagens na cama me leva à loucura. Usando fantasias e sendo chamada por um nome que não é meu, adquiro uma personalidade nova e fico muito mais descontraída. Mas prefiro quando o homem toma a iniciativa e providencia todos os preparativos.

56. Adoro dar ordens e ser obedecida, claro. Na hora H, meu namorado segue direitinho a minha cartilha, beijando, apalpando e esfregando onde eu quero e do jeito que eu peço.

57. Deixar o computador num ângulo em que a webcam possa captar todas as nossas pegadas me deixa louca. Costumo gravar tudo e assistir em seguida. É ótimo para aprimorar o desempenho - e para receber elogios também.

58
. Acho as velas um item bastante romântico, gosto de transar com a luz apagada e algumas chamas espalhadas pelo quarto, em locais estratégicos. Quando o clima está pegando fogo, vou ao delírio se o cara pega uma delas e pinga umas gotinhas de cêra na minha barriga ou nas minhas costas. Mas tem que ser de surpresa para fazer efeito

59. Um bom colo, com carinho e uma pegada forte, é meio caminho andado para uma transa inesquecível. Se o cara tiver mesmo a manha, tudo se resolve ali mesmo, sentados (e com muito conforto).

60. O meu maior afrodisíaco chama-se ciúmes. Ainda não consegui ficar com nenhum cara que topasse outro homem na nossa cama. Então, normalmente, faço a festa quando meu namorado aceita que eu fique usando uns brinquedinhos na frente. Se ele me der uma mãozinha, então... 

sexo

61. Este é meu teste para saber se vale a pena investir no cara. A gente começa as preliminares na sala e, enquanto isso, deixo o ar condicionado do quarto no mínimo. Quando nós dois já estamos para explodir, arrasto ele para a cama e continuamos o namoro por lá. No meu teste, são aprovados os homens que não me deixam sentir frio.

62
. Em casa, meu namorado dorme separado de mim por impsição dos meus pais. Mas, no meio da noite, ele escapa e vem parar na minha cama. Transamos sem fazer o menor ruído. A sensação de perigo e a obrigação de ficar quietos aumentam nossa tensão - e o meu tesão.

63. Uma mordida no lugar certo é uma delícia, desperta um instinto animal que, normalmente, eu não revelo nem sob pressão. Onde é o lugar certo? Dependo do cara e da posição em que ele me pega.

64. Bancar a streaper é muito legal, desde que o cara aceite as regras e espere o momento de agir. Vale rebolar na frente dele, esfregar as pernas e insinuar depravações. Mas ele tem que assistir a tudo quietinho. Quando eu também não agüento mais esperar, dou o sinal verde.

65. Depois que consigo intimidade, gosto de amarrar as mãos dele e as minhas. Assim, sem o apoio delas, temos de dar um jeito de encontrar um encaixe que funcione perfeitamente. Até hoje, nunca falhou. 

Provocar é uma das melhores sensações de esquenta.

66. Aguçar a percepção dele é diversão certa na minha cama. Coloco uma faixa nos olhos dele e deixo uma série de frutas, sucos e comidinhas por perto. Passo os ingredientes no meu corpo e peço que ele prove. Até adivinhar que sabor está degustando. Depois disso, é a vez de estimular o meu tato.

Fico com os olhos vendados e ele desliza, pelo meu corpo todo, esponjinhas, toalhas e tecidos umedecidos numa solução de água morna e essências perfumadas.

67. Contos eróticos são munição certa para a nossa imaginação. Gosto quando, à noite, meu namorado abre um dos meus livros (tenho pilhas deles) e começa a ler um trecho. A gente começa mordendo os lábios, vai chegando mais perto, mexendo as mãos... mas só deixo que ele parta para a definitiva quando o capítulo termina - a essa altura, já estou a mil quilômetros por segundo.

68. Sem pressa, é o máximo quando meu namorado consegue tirar minha roupa só usando a boca e os dentes. Para deixá-lo mais animadinho, prefiro usar uma saia nesses dias - afinal, se o desespero for muito (ou a habilidade for pouca), conseguimos continuar a aventura sem decepção.

69. Verdade imbatível: adoro os homens que são (ou parecem) insaciáveis. Não existe nada pior do que o terrível cigarro com soninho após uma transa, por mais maravilhosa que seja. Se o cara cansar mesmo, que pelo menos guarde o mínimo de energia para fazer carinho em mim, até que dois adormeçam

Fale de seus sentimentos, tome decisão, se alimente corretamente...

Se não quiser adoecer – “Tome decisão”.
A pessoa indecisa permanece na dúvida, na ansiedade, na angústia.
A indecisão acumula problemas, preocupações, agressões.
A história humana é cheia de decisões, para decidir é preciso saber renunciar, saber perder vantagem e valores para ganhar outros.
As pessoas indecisas são vítimas de doenças nervosas, gástricas e problemas de pele.
Se não quiser adoecer – “Busque soluções”.]
Pessoas negativas não enxergam soluções e aumentam os problemas.
Preferem a lamentaçaão, a murmuração, o pessimismo.
Melhor acender o fósforo que lamentar a escuridão.
Pequena é a abelha, mas produz o que de mais doce existe. Somos o que pensamos.
O pensamento negativo gera energia negativa que se transforma em doença.
Se não quiser adoecer – “Não viva de aparências”.
Quem esconde a realidade, finge, faz pose, quer sempre dar a impressão de que está bem, quer mostrar-se perfeito, bonzinho, etc...,

está acumulando toneladas de peso... uma estátua de bronze, mas com pés de barro.
Nada pior para a saúde que viver de aparências e fachadas.
São pessoas com muito verniz e pouca raiz.
Seu destino é a famácia, o hospital, a dor.
Se não quiser adoecer – “Aceite-se”.
A rejeição de si próprio, a ausência de auto-estima, faz\ com que sejamos algozes de nós mesmos.
Ser eu mesmo é o núcleo de uma vida saudável.
Os que não se aceitam são invejosos, ciumentos, imitadores, competitivos, destruidores.
Aceitar-se, aceitar ser aceito, aceitar as críticas, é sabedoria, bom senso e terapia.
Se não quiser adoecer – “Confie”.

Quem não confia, não se comunica, não se abre, não se relaciona, não cria liames profundos, não sabe fazer amizades verdadeiras.
Sem confiança, não há relacionamento.
A desconfiança é falta de fé em si, nos outros e em Deus.
Se não quiser adoecer – “Não viva sempre triste”.
O bom humor, a risada, o lazer, a alegria, recuperam a saúde e trazem vida longa.
A pessoa alegre tem o dom de alegrar o ambiente em que vive.
“O bom humor nos salva das mãos do doutor”.
Alegria é saúde e terapia.
Dr. Drauzio Varela

 
1 - O Orgasmo Feminino dura em média 1,7 segundos. Enquanto que o masculino dura 12,4 segundos.
 

 
Parece que ao longo da vida, cada homem passa 9h e 18 segundos sentindo orgasmo. Nós mulheres passamos uma mísera horinha e mais 24 segundinhos.

2 - De acordo com a forma de andar da mulher os cientistas e sexólogos podem dizer se ela tem orgasmos vaginais.
 

Essa pesquisa é sensacional. Se você tem a passada larga e com muita rotação, fique feliz! Comemore! Sua chance de ter um mega-ultra-blaster-master orgasmo vaginal é enorme. Mas se você é elegante e discreta, seus músculos pélvicos podem ser atrofiados e uma equipe multidisciplinar para o tratamento de dificuldade orgásticas te mandaria fazer .. hum.. E-xer-cí-cios. 

3 - A mulher que faz uso de pílula anticoncepcional deixa de conseguir farejar o homem mais compatível com ela.


 
Ok. Agora por que não inventam um remédio que faça com que os homens suspendam sua fertilidade? Eles (claro que em um relacionamento sério) não gostam de camisinha e a gente que se vire colocando diu, tomando pílula, entre outras coisas. Alô Doutores, foram vocês que inventaram a pílula para, agora, virem dizer que eu escolhi mal por causa dela. Antigamente eu chamava isso de cupido burro, amor bandido...

4 - A mulher tem 30% mais chance de alcançar um orgasmo se estiver com o pé aquecido.
 

Certo.  Fazer sexo de meia é a regra para ter o mega-ultra-blaster... que tal, Meninos?

5 - 86% disseram sentir mais prazer com mulheres intelectualmente inferiores a eles e as mulheres entrevistadas afirmam que preferem homens superiores intelectualmente a elas.
 

 Quem foi entrevistada??? Quem??? Quem??? Queeeeeeeeeem???

6 - Descobriram que as preliminares não são importantes para o orgasmo feminino.
LUTO!

7 - 70% das entrevistadas declaram já ter fingido orgasmos para satisfazerem seus maridos.

E as outras 30%, qual o fundamento da mentira?

8 - Mais de 3 a cada 5 mulheres com nível superior têm dificuldade de atingir o orgasmo. Quanto menor a educação maior o nível de orgasmos. 55% das mulheres diplomadas têm dificuldade em atingir o orgasmo, ao passo que 70% das mulheres que sequer atingiram o segundo grau disseram não ter qualquer queixa sobre o assunto.
É sério? Mãe, eu disse que não era para estudar. A conclusão deve ser que as loiras e burras são as únicas capazes de ser realizadas pessoal e profisisonalmente. Vivem das bundas, afinal.
Conclusão:
Para os cientistas nós temos que ter a passada da Ana Hickman, ainda que nossas pernas sejam curtas como as da Preta Gil. Ah, e se não conseguirmos por esforço próprio, temos de nos exercitar para isso (é claro que, de quebra, ficamos gostosas e saradas para eles).
Temos que usar meias durante o ato sexual (e deixar de reclamar das deles, evidentemente).
Temos que ter um homem superior intelectualmente a nós, o que não é fácil se você tiver um diploma universitário, quem dirá no meu caso, com pós-graduação e tudo. É a lei natural do MBA never!
E mais do que tudo, temos que IGNORAR nossa necessidade básica de uma boa preliminar. Afinal de contas, ela não é importante para o orgasmo.
E tudo isso por míseros 1,7 segundos de alegria?
Alguém me diga se nessas pesquisas tem alguma PESQUISADORA. Duvido!
Será que os doutores estão tão preocupados com a nossa satisfação sexual ou se é só a imensa vontade de colocar no mercado um elixir dos deuses capaz de nos fazer sentir orgasmos semelhantes aos super-hiper-mega-poderosos orgasmos masculinos.
Li também que você pode, por míseras 800 libras (R$ 2.800), receber uma injeção de G-Shot. Um remédio que faz com que a mulher aumente seu ponto G em tamanho e na saliência e... bem... ter um orgasmo de horas.
Mas como? Se para ter orgasmos você não pode estudar muito e ganhando pouco gasta seu salário na academia para alargar a passada e em uma loja da Lupo comprando meias, com que dinheiro você vai pagar essa porra?
p.s.: O efeito virar para o lado e dormir comum na maioria dos homens é plenamente jusitificado. Segundo uma pesquisa, após o orgasmo os homens sofrem uma enxurrada de neurotransmissores e hormônios que fazem com que caiam no sono imediatamente.
Não disse que não tem mulheres pesquisando sobre nosso orgasmo?